Colaboradores:

Cantagalo realiza Segundo Levantamento Epidemiológico em Saúde Bucal, estudo mostra que o trabalho e


A Secretaria de Saúde de Cantagalo, através da Coordenação de Saúde Bucal, está realizando este ano o Segundo Levantamento Epidemiológico em Saúde Bucal, trabalho que teve início em agosto de 2013, quando a equipe esteve visitando as escolas municipais e estaduais e avaliando crianças na faixa etária de 7 a 14 anos.

De acordo com a coordenadora de Saúde Bucal da Secretaria Municipal de Saúde, Aretuza Pires, esse levantamento tem como principal objetivo diagnosticar quais áreas têm piores índices de saúde bucal e quais têm os melhores números. “A partir do levantamento de 2013, elaboramos um plano de ação para melhorar os índices não satisfatórios indicados e implantamos ações específicas, através das unidades da Estratégia de Saúde da Família (ESF), em todo o município”, explicou a coordenadora.

Ainda segundo Aretuza Pires, o resultado total do estudo de 2013 foi de 3,2. “Levando em consideração os dentes permanentes e decíduos (dentição de leite, temporária), Cantagalo obteve uma classificação, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), de nível médio de prevalência de cárie dentária”, explica.

Com os números atualizados em mãos, o ano de 2014 foi dedicado aos trabalhos intensivos de promoção e prevenção da saúde bucal nas escolas e dentro das unidades básicas de saúde. Nas escolas (duas ações em cada uma, no período de um ano, com intervalo de seis meses entre elas) foram realizadas palestras, escovação dental supervisionada e fluoretação tópica. “Durante as ações, as crianças eram triadas e referenciadas para suas respectivas unidades básicas de saúde, onde já possuem, conforme o Protocolo Municipal de Saúde Bucal, um dia exclusivo para serem atendidas e com prioridade de turno, de acordo com o horário de estudo”, acrescenta Aretuza Pires.

Este ano, o segundo levantamento foi realizado em junho, quando foram colhidos os dados para confronto com os resultados do primeiro estudo. E os números são muito positivos, pois a prevalência do índice de cárie dentária caiu de 3,2 para 2,8, considerando apenas um ano de trabalho estratégico (2014, quando as ações foram trabalhadas com base no levantamento de 2013).

Boletim divulgado pela Coordenação de Saúde Bucal da Secretaria de Saúde mostra que Cantagalo ainda está na classificação de nível médio, isso levando em consideração os dentes decíduos. “Caso o estudo fosse realizado somente em dentes permanentes, já estaríamos na classificação de nível baixo. A metodologia utilizada foi a mesma do exame anterior”, completa a coordenadora.

A equipe de saúde bucal calibrada, que realizou os dois estudos, foi a da Unidade Básica de Saúde da Família Dr. Jorge Roberto Vieira de Barros, localizada na parte alta do bairro São José, o mais populoso do município, com cerca de seis mil moradores. Integram a equipe a cirurgiã dentista Roberta Machado e a auxiliar de saúde bucal Elisângela Pereira. Como no exame anterior, foi examinada uma amostra de 20% das crianças na faixa etária de 7 a 14 anos em todo o município.

Esperamos, no próximo levantamento, que será realizado em 2017, obtermos a classificação de nível baixo, que se encontra na escala entre 0, 0-2 e 6, considerando tanto a dentição decídua quanto a permanente. Importante ressaltar que novas ações serão planejadas e implementadas para que consigamos atingir esse objetivo – destaca Aretuza Pires, acrescentando que é importante esses estudos a cada dois anos para a organização, o planejamento, o monitoramento e a avaliação do trabalho das equipes de saúde bucal do município.

FOTOS E TEXTO: GILMAR MARQUES