Colaboradores:

Prefeitos da região protestam e cobram verbas Federais


O cenário de crise econômica que atinge os municípios fez os prefeitos pedirem à população de toda a região para que ajude a pressionar o governo federal. Os prefeitos também cobraram uma atuação mais ativa dos deputados federais “que tiveram votos na região”.Participaram do encontro os prefeitos de Nova Friburgo, Rogério Cabral; de Bom Jardim, Paulo Barros; de Cantagalo, Saulo Gouvea; de Madalena, Clementino da Conceição; de Trajano de Moraes, Carlos Gomes; do Carmo, Cesar Ladeira; de Cordeiro, Leandro Monteiro; e de Teresópolis, Márcio Catão. Oito prefeitos e representantes dos outros quatro municípios da Região Centro-Norte Fluminense decidiram em comum acordo paralisar por 24h, nesta segunda-feira, 28, os atendimentos não-essenciais. No dia seguinte, 29 de setembro, eles irão à Brasília engrossar uma marcha dos municípios brasileiros cobrando do governo federal e da presidenta Dilma uma solução imediata para a brusca queda de repasses, que, estima-se, tenha caído em 10% este ano.

Em Nova Friburgo, principal município da região, o prejuízo este ano pode chegar a R$ 40 milhões. Segundo o prefeito Rogério Cabral, o repasse federal à educação já diminuiu R$ 6 milhões nos oito primeiros meses deste ano e o município está sendo obrigado a destinar 51% da receita para a saúde, quando a lei determina que o índice seja de 15%. O prefeito destacou que a queda dos repasses coloca os municípios dentro do precipício

administrativo/financeiro. Existe o temor de atrasos de pagamentos e do agravamento da crise em 2016, ano eleitoral. "As Prefeituras já fizeram cortes de pessoal, de tudo, não há mais o que cortar. O governo federal criou programas, repassou para os municípios e cortou as verbas. Os municípios estão numa situação dramática", enfatizou o prefeito de Friburgo.

Fonte e foto Weslei Muniz