Colaboradores:

PARAÍBA DO SUL: Quarta fase da ‘Operação Dominó’ação silenciosa nove mandados de prisão cumpridos e


O trabalho integrado da polícia civil e militar em Paraíba do Sul, com o apoio do Ministério Público e Poder Judiciário, resultou na expedição de nove novos mandados de prisão preventiva por tráfico de drogas, os quais foram cumpridos na noite desta terça-feira (31), na quarta fase da chamada “Operação Dominó”. Dois indivíduos foram localizados em suas casas e sete mandados foram cumpridos dentro dos presídios. Durante as diligencias realizadas, um elemento foi preso em flagrante por tráfico, totalizando dez prisões nesta nova etapa da operação. Um homem que seria conduzido para a delegacia para prestar depoimento fugiu.

Diferentemente das outras fases da operação, nesta o trabalho se deu de forma silenciosa, com o uso de viaturas descaracterizadas e o emprego de poucos policiais da 107ª DP e do 38º BPM. Novamente a polícia buscou fazer uma espécie de “efeito dominó” com base nas diversas apreensões de drogas realizadas no curso das investigações. Os responsáveis pelas drogas foram identificados através de denúncias, de testemunhas e também por meio de informações presentes em aparelhos celulares apreendidos, os quais foram analisados com autorização da justiça. Vários investigados acabaram sendo presos por outros crimes no curso das investigações, e agora tiveram contra eles novos mandados de prisão cumpridos dentro da penitenciária. Dois investigados já estavam presos quando praticaram os crimes apurados, sendo verificado que, de dentro do presídio, através do uso de whatsapp, buscavam coordenar parte da distribuição de entorpecentes na cidade de Paraíba do Sul.

Os indivíduos que tiveram suas prisões decretadas são: Diego Dos Santos Faria (Vulgo "BK"), de 21 anos, Emanuel Salles Do Santos, de 19 anos, Daniel Vitor Vieira Gomes, de 25 anos, Igor De Paula Oliveira, de 18 anos, Angelo Marcos Gomes Dos Reis Monteiro (vulgo Ninho), de 24 anos, Paulo Vitor Silvério Felipe (vulgo “PV”), de 22 anos, Artur Vinicius Rodrigues de Paula (vulgo Bicudo), de 24 anos, Leandro Silva (vulgo Leandrinho), de 19 anos, e Miller Moreira da Silva (vulgo “Miller do Amapá”) de 25 anos. Daniel Bastos dos Santos (vulgo “Bodinho”) foi preso em flagrante.

O Comandante do 38ºBPM enfatizou que "todo esse trabalho integrado tem como finalidade atender aos anseios da sociedade em busca de maior sensação de segurança, além de destacar o apoio essencial do Ministério Público e do Poder Judiciário, sem os quais as operações não teriam êxito." O Comandante da 2ª Cia, Tenente Pacheco disse "que as operações vão continuar a serem realizadas e destacou o empenho dos policiais de Paraíba do Sul, que mesmo com todas as dificuldades não deixaram de cumprir sua missão em prol de uma cidade segura para todos."

Segundo a Delegada Titular da 107ª DP, Cláudia Abbud, "o mandado de prisão de Diego BK foi considerado o mais importante desta etapa da operação."

As investigações apontaram que, de dentro do presídio, com o auxílio de seu companheiro de cela Emanuel Salles, Diego BK foi o responsável pelo envio das 642 buchas de maconha apreendidas pela polícia no dia 25 de setembro de 2017 no interior de um ônibus em Paraíba do Sul. Eles haviam contratado uma jovem, de 19 anos, para trazer o material da favela da Chatuba, na capital do estado, e aliciaram um menor, de 17 anos, para receber o entorpecente e comercializá-lo na cidade.

Daniel, Igor e Paulo Vitor, suspeitos de atuar no bairro Liberdade, e Angelo “Ninho”, do distrito de Werneck, foram identificados como sendo indivíduos que fugiram de abordagens policiais, deixando para trás materiais entorpecentes que foram apreendidos. Segundo foi apurado, Daniel fugiu de uma equipe policial em dezembro de 2016 deixando para trás 21 pedras de crack. Igor, acompanhado de um menor, se evadiu ao avistar uma viatura em abril de 2017, deixando para trás 21 invólucros de cocaína. Paulo Vitor correu de uma guarnição em fevereiro de 2017, abandonando 33 pedras de crack e 5 pinos de cocaína. Angelo “Ninho”, no final de abril de 2017, fugiu de uma abordagem da polícia e em sua rota de fuga deixou duas sacas contendo 47 pinos de cocaína e 11 buchas de maconha. Paulo Vitor foi capturado em casa nesta terça-feira e os demais já se estavam presos por outros crimes e tiveram os mandados cumpridos no interior do sistema prisional.

Miller do Amapá também foi preso em Paraíba do Sul nesta terça-feira. Em fevereiro deste ano ele havia sido encontrado no banco do carona de um automóvel com uma substancial pedra de crack que poderia ser fracionada em dezenas de pedras menores, tendo a investigação apontado indícios de seu envolvimento com tráfico. Com relação a Artur Bicudo e Leandrinho, os dois foram presos no inicio do mês, na terceira fase da operação Dominó, por associação para o tráfico, e agora foram alvos de novos mandados de prisão em função de crimes individualmente praticados. Segundo as investigações, em maio de 2017, Artur escondeu material entorpecente em uma obra abandonada no Parque Morone e em janeiro de 2017 Leandrinho recebeu um adolescente vindo da Favela da Barreira do Vasco, no Rio de Janeiro, e forneceu entorpecentes para que ele comercializasse na cidade.

No que tange a prisão em flagrante de Daniel “Bodinho”, esta também ocorreu nesta terça-feira, na Ladeira Curupati, no bairro Palhas. Enquanto os agentes buscavam informações sobre o paradeiro de um dos foragidos, receberam denúncia de que o citado indivíduo usava sua residência como ponto de venda de drogas. No local os policiais encontram 24 pinos de cocaína e Daniel reconheceu que iria comercializar a droga apreendida.

Esta foi a oitiva operação realizada de forma conjunta pela 107ª DP e 38º BPM nos últimos seis meses. Em maio de 2017, na Operação Cidade Segura (contra crimes de roubo de rua), 3 homens foram presos. No inicio de junho, a Operação Malhete (destinada a dar efetividade às decisões judiciais) culminou em 4 prisões. Neste mesmo mês foram realizadas a Operação São João (contra o tráfico, com foco em Werneck), que resultou em 7 presos, e a Operação São Pedro e São Paulo (contra tráfico e homicídio, com foco no bairro Liberdade), na qual 7 pessoas foram presas e dois menores apreendidos. Em julho, a primeira fase da operação Dominó (com foco no Parque Niágara) resultou em 8 prisões. A segunda fase desta operação se deu setembro (com foco no bairro Liberdade), e na ocasião 11 indivíduos foram presos.

Em outubro ocorreu a terceira fase (com foco no bairro Eldorado), que resultou 7 prisões, e agora, no fim do mês, a quarta fase da operação Dominó teve 10 prisões efetuadas. Dessa forma, neste curto espaço de tempo, houve um total de 57 prisões realizadas apenas em operações integradas das policiais civil e militar, trabalho esse que não seria possível sem o apoio do Ministério Público e Poder Judiciário.

Por Adriano Teixeira

Fonte e foto: 38º BPM – Três Rios